Skip to main content

No Dona Ruth: Festival de Teatro Negro de São Paulo – 3ª edição, os Atos Artísticos são criações cênicas audiovisuais online e apresentações presenciais de artistas indígenas(es) e negras(es/os) de diferentes regiões do Brasil que transitam entre as linguagens do teatro, da performance, da dança e das artes visuais

Oca no Buraco Fundo

Ziel Karapotó (PE)
Data: 22 de outubro, sexta-feira. 20h
Formato: Online
Local: Itaú Cultural – Sympla/ Zoom
Classificação indicativa: Livre
Duração:  30min
Essa atividade contará com interpretação em Libras
Grátis 

Sinopse

Obra “Oca no Buraco Fundo” é uma produção audiovisual híbrida, encruzilhada  entre vídeo performance, vídeo arte e vídeo dança. Por meio da corporeidade  almejo promover construções de paisagens contra narrativas aos discursos hegemônicos sobre as identidades e territorialidades indígenas na  contemporaneidade. Consequentemente, sinalizar fabulações sobre o meu (r)existir no contexto periférico da Região Metropolitana de Recife,  apresentando o lugar no qual elaboro estratégias de territorialização e  reafirmação da minha identidade originária.

FICHA TÉCNICA:

Direção: Ziel Karapotó
Ass. de Direção: Karkará Tunga
Roteiro: Karkará Tunga e Ziel Karapotó
Produção: Isabelle Mota, Karkará Tunga e Ziel Karapotó
Fotografia: Fernanda Misao e Karkará Tunga
Iluminação: Fernanda Misao
Ass. de Iluminação: Ester Menezes
Direção de Arte: Ziel Karapotó
Ass. de Direção: Ester Menezes
Captação e edição de som: Karkará Tunga
Música: “Retorno” de Souto MC
Montagem: Karkará Tunga
Agradecimentos: Miro e Ruth Gabino

Sobre o artista

Ziel Karapotó é indígena da etnia Karapotó. Reside em Recife – PE desde 2015. É graduando do curso de Artes Visuais da Universidade Federal de Pernambuco e atua, desde o ano de 2012, no campo das artes visuais, performance, instalação, curadoria, arte-educação e audiovisual. Em suas produções aborda questões sobre as configurações das identidades indígenas na contemporaneidade, em especial sobre as etnias no nordeste brasileiro, e os múltiplos contextos nos quais estão inseridos, consequentemente sobre os problemas sociopolíticos que os atravessam. Acredita na arte, ciência dos meus ancestrais e do meu corpo como ferramenta discursiva de resistência e força anticolonial. Participou dos coletivos Lambe-Lambe Digital (2012), momento em que realizou a pesquisa VídeoArte Digital: poéticas de efeitos, como bolsista PIBIC, e CriArtvírus (2014), onde produziu intervenções urbanas na cidade de Arapiraca- AL. De 2016 a 2018 realizou uma série de performances artísticas no circuito da Arte de Pernambuco, se destacando como um dos 10 jovens artistas selecionados e premiados na 8a e 10a edição do Salão Universitário de Arte Contemporânea de Pernambuco – ÚNICO. Em suas produções no campo das Artes Visuais e performance destacam-se a obra instalação-performance “Inventário Curumim” (2016) e performance “Todos falam de mim. Ninguém me representa” (2017). No ano de 2018 inicia a carreira como realizador audiovisual independente. Em 2019 realiza o filme “O verbo se fez carne”, premiado, até então, em 15 vezes em festivais e mostras de cinema e audiovisual nacionais, dentre esses prêmios estão “Destaque em Expressão Poética” no Festival Brasileiro de Cinema Universitário – FBCU em Niterói e prêmio “Melhor Curta Metragem” na 9a mostra Ecofalante de cinema em São Paulo. Em 2020 realizou a vídeo arte “Commodity”, como resultado do prêmio Um Outro Céu, uma premiação organizada pela rede de universidades da Bahia (UFBA, UNEB, UFRB), do Pará (UNIFESSPA), Inglaterra (Sussex), com apoio da Fapex e junto do movimento indígena, através da APOINME. Até então, 2021, realizou a direção de arte da obra audiovisual “Aracá”, de Abiniel Nascimento, Está concluindo o curta metragem “Paola”, projeto selecionado no edital Aldir Blanc, e foi um dos realizadores do projeto Falas da Terra, pela Rede Globo.

Atenção:
Para assistir a exibição deste Ato Artístico será necessário reservar os seus ingressos no Sympla e seguir as instruções da plataforma. A transmissão será realizada via Zoom, portanto é preciso ter instalado o aplicativo em seu dispositivo. 

Leave a Reply